Home Superliga Osasco/Audax bate o Curitiba em casa e sobe uma posição na tabela
Superliga - 8 de março de 2019

Osasco/Audax bate o Curitiba em casa e sobe uma posição na tabela

Time de Luizomar de Moura seca o Sesi/Bauru, neste sábado, para se manter em 5º

Com 14 pontos da central Walewska e outros 14 da ponteira Ângela Leyva, o Osasco/Audax derrotou o Curitiba por 3 sets a 0 – parciais de 25/19, 25/15 e 25/23 -, em 1h19min de partida, na noite desta sexta-feira, no Ginásio José Liberatti, em Osasco (SP), na abertura da penúltima rodada da fase classificatória da Superliga Cimed Feminina 2018/2019.

Com o resultado, o time paulista subiu da sexta para a quinta posição, com 36 pontos (12 vitórias e 8 derrotas), e seca o Sesi/Bauru, que tem 34 pontos (12 vitórias e 8 derrotas) e neste sábado enfrenta o Pinheiros, às 18h, em São Paulo, no complemento da rodada, podendo tomar de volta o quinto lugar. O Curitiba se mantém em oitavo, com 23 pontos (14 derrotas e 7 vitórias) e só deixa os playoffs se perder o próximo jogo – para o Itambé/Minas, dia 15, às 21h30, em casa – e se o Pinheiros vencer seu dois outros confrontos.

Walewska – que marcou 7 pontos de ataque, dois de saque e 5 de bloqueio – foi eleita a melhor em quadra e ficou com o Troféu VivaVôlei. Além dela e de Leyva (14 pontos de ataque), outra jogadora terminou a partida com 14 pontos (todos de ataque), a oposta Sabrina Machado, do time paranaense.

Walewska ficou com o VivaVôlei (João Pires/FotoJump)

O Osasco tem um jogo a menos que o Sesi/Bauru. Na próxima terça-feira, o time enfrenta o Fluminense, às 20h, no Ginásio do Hebraica, no Rio de Janeiro (RJ), em partida adiada da quarta rodada do returno. No encerramento da fase classificatória, dia 15 (sexta-feira), o time recebe o BRB/Brasília, às 21h30. O Curitiba tem pela frente o Itambé/Minas no mesmo dia e horário.

Walewska elogiou o comportamento do time.

– Atingimos nosso objetivo, que eram os três pontos. Mas não nem dá para comemorar muito, porque temos uma batalha fora de casa na terça-feira contra o Fluminense, que vem bem na Superliga. Mas vamos ao Rio em busca de mais três pontos – comentou a central, que analisou a partida.

– O Curitiba tem um volume muito grande e tínhamos que equilibrar esse fator para facilitar a virada de bola. Quando conseguimos, o jogo fluiu tranquilo. Isso não aconteceu no início do primeiro set, quando tivemos dificuldades na defesa e entregamos bolas de graça. Mas a partir da metade do set inicial, conseguimos nos impor. Ainda tivemos um terceiro set complicado, mas a virada mostra que somos um grupo que não desiste nunca.

Leyva marcou 14 pontos (João Pires/FotoJump)

O jogo

Osasco começou o primeiro set com o freio de mão puxado, com problemas na recepção. Tanto que Luizomar precisou pedir tempo quando o Curitiba fez 12/8. A chamada deu resultado e suas comandadas chegaram ao empate no 15/15 e virou no 16/15 com Angela Leyva. Mais equilibrado em quadra, o time paulista passou a comandar as ações. E com dois pontos de Mari Paraíba – um ace e um ataque do fundo – fechou em 25/19.

No segundo set a história foi diferente. O Vôlei Osasco dominou a parcial do início ao final. Marcou logo 10/5 e foi abrindo. Com uma china de walewska, fez 17/9. Com a recepção funcionando, Claudinha conseguiu boa variação nas jogadas e colocou para atacar tanto as ponteiras Mari e Leyva e a oposta Hooker como as centrais Wal e Nati. O resultado foi um tranquilo 25/15.

Osasco voltou a repetir, no início do terceiro set, a instabilidade da primeira parcial. Forçando o saque, Curitiba conseguiu abrir quatro pontos no 11/7. Mais uma vez Luizomar pediu tempo e conseguiu arrumar sua equipe, que tirou três pontos de cara (10/11). O empate veio no 17/17 e 22/22, após ace de Walewska. A virada, porém, só ocorreu no 23/22, com um erro das adversárias. Com uma série de cinco saques seguidos de Walewska, chegou ao set point no 24/22. Coube a oposta Hooker fechar a parcial em 25/23 e a partida em 3 sets a 0.

Jogadoras de Osasco comemoram a vitória (João Pires/FotoJump)

Osasco/Audax: Claudinha (4), Hooker (9), Walewska (14), Nati Martins (4), Mari Paraíba (10), Angela Leyva (14) e a líbero Camila Brait. Entraram: Kika, Natasha, Carol Albuquerque, Lorenne (1).

Técnico: Luizomar de Moura.

Curitiba: Ana Cris, Mariana Aquino (5), Julieta (4), Priscila (2), Isabela (3), Sabrina (14) e a líbero Ju Paes. Entraram: Elis (3), Talia (4), Valeskinha (4), Aline (1), Mariana Galon (1)

Técnico: Clesio

LEIA TAMBÉM

+ Egonu pode trocar Novara por rival na Itália

Todos os dias deveriam ser das mulheres

+ Macris fala de mudanças, após iniciar dieta vegana

Líbero Serginho fala sobre mais um título do Sada/Cruzeiro e planos para o futuro

Natália tranquila fãs após revelação de fratura na costela

Giba volta a atuar para promover vôlei inglês

Opinião: Sada/Cruzeiro vence remontagem e não para de levantar títulos

Veja também

Maique: “Estamos buscando identidade para o grupo”

A Seleção Brasileira masculina está na França fazendo os últimos ajustes para o Campeonato…